Aqui você encontra tudo fácil

Pacotes de viagem

Destinos turísticos

Passeios e excursões

Figura com sol, mar e coqueiros

Gripe suína: sintomas e prevenção

Porco

Por Ana Golfetto Masella

Razões lógicas para manter sua viagem ao exterior

1. Que cuidados tomar em relação à gripe suína?

2. Quais os esclarecimentos importantes sobre a doença?

3. Por que não adiar sua viagem à Argentina, Chile ou outro país do exterior?

Muito se tem falado a respeito da gripe suína. Mas quanto daquilo que se fala ou se ouve é realmente verdade?

A gripe suína é uma doença respiratória que aflige os porcos. Ela é causada pelo vírus Influenza do tipo A - um vírus que possui diversas variantes, dentre as quais a versão conhecida como H1N1, capaz de infectar os humanos.

Os sintomas da H1N1 são semelhantes aos de uma gripe comum. São eles: febre, tosse, garganta dolorida, dores musculares, dor de cabeça, falta de apetite, fraqueza e desconforto geral.

Conheça a H1N1 antes de adiar sua viagem ao exterior

Os meios de comunicação - e as próprias pessoas - têm o mau hábito de incitar o pânico entre a população quando surge uma nova doença. Isso porque as informações acerca da doença ainda são escassas, além da cura ser incerta. O que poucos fazem é incentivar a prevenção, o que efetivamente contribui para evitar a disseminação da doença.

Em outras palavras, o ato de "esconder-se" não poupará qualquer pessoa de contrair a doença. Apenas a consciência das formas de prevenção podem evitar um possível contágio. Por isso, de nada adiantará sair por aí adiando viagens ou se desesperando.

"Todo esse alvoroço é devido à lembranças de outras pandemias que causaram um número enorme de mortes, principalmente a velha gripe espanhola no começo do século passado".

De acordo com o balanço mais recente da Organização Mundial da Saúde (OMS), os casos de infectados pelo vírus H1N1 somam um total de 27.737, com 141 mortos desde o final de abril. Isso mostra que o número de mortes por contaminação é menor que 1%. Portanto, a incidência de contágio da doença pode ser elevada, mas a mortalidade é baixa.

Além disso, é fato concreto de que qualquer tipo de gripe pode matar. Anualmente, morre uma grande quantidade de pessoas infectadas pela gripe comum - que sequer chega aos meios de comunicação. Estima-se que de 1972 a 1992, 426 mil pessoas morreram de gripe nos EUA. No Brasil, segundo o DATASUS, foram 181 mortes somente em 2006.

"A mensagem para se levar para casa é: ainda é cedo para se desesperar. Até descobrir mais detalhes sobre esta nova variedade, não é bom entrar em pânico" - Carlos Hotta, cientista e escritor

Cuidados que você pode tomar para se prevenir

1. Lave bem as mãos e com frequência

Ao contrário do que se imagina, é mais fácil contrair a gripe suína com um aperto de mão do que com um beijo. Se uma pessoa contaminada colocar a mão na boca ao espirrar, passará mais facilmente a doença à outras pessoas.

2. Não toque olhos, nariz ou boca com as mãos

Caso tenha dado a mão para alguém resfriado, evite tocar seus olhos, nariz ou boca antes de lavar as mãos. Isso evitará o risco de ser contaminado, caso a outra pessoa esteja com a gripe suína.

3. Evite aglomerações em locais fechados e com ar-condicionado

Pessoas contaminadas em locais de aglomeração, ajudam a propagar a doença. Ainda mais mais se o lugar for fechado ou tiver ar-condicionado.

4. Fique atento caso esteja gripado

Em caso de febre repentina (acima dos 37,5 graus), tosse e pelo menos algum outro sintoma de gripe, como dor de cabeça, procure um médico ou um posto de saúde o quanto antes.

5. Não deixe de viajar ao exterior ou a qualquer outro lugar

Você não precisa ficar trancado em casa para não contrair a gripe. Basta tomar os devidos cuidados para evitá-la.

"O vírus já está internamente aqui no Brasil. Deixar de viajar, nesse caso, é excesso de preocupação" - Celso Granato, infectologista da Unifesp

Veja também: